Matar a saudade é uma delícia

[Paula Hsieh]

Parti para Europa, onde fui visitar o Salão Internacional de Design do Móvel,  os eventos e lojas de Milão durante uma semana em abril, com a tranqüilidade de quem conta com uma boa retaguarda e  deixando tudo organizado em casa.

É claro que, uma semana antes da viagem, ainda estava um pouco apreensiva, na dúvida se ia ou não. Mas o Caco, meu marido, já conhece muito do dia-a-dia do João, nosso filho de 1 ano e oito meses, e dá conta do recado. Além disso, a babá está acostumada com o bebê em casa, por isso optamos por manter a rotina dele inalterada.

Lá em Milão, como não parei, o tempo passou rápido. Quando tinha um momento para pensar na saudade do João, era consolada por uma amiga arquiteta que viajou comigo, deixando o marido e três filhos – o menor deles pouco mais velho que o João – no Brasil.Cada uma revelou os esquemas que armou para poder viajar; falávamos das crianças em todos os intervalos. Mas, longe de casa, aproveitamos para admirar a moda, folhear revistas e olhar vitrines – coisas de menina que também fazem falta de vez em quando, principalmente quando a prioridade é cuidar de filhos pequenos.

Eu só fiquei com o coração mais apertado quando não conseguia ligar de Milão ou então não achava ninguém em casa bem na hora em que podia telefonar! Um dia o João reconheceu minha voz do outro lado da linha e desandou a chorar. Em outro, teve um febrão (descobri isso só na volta da viagem), o que é uma típica maneira de expressar a falta que sentia da mãe. Mas a febre passou rápido e ele logo se ligou mais ao pai, tanto que na semana seguinte falava muito sobre o Caco e as coisas que fizeram juntos. Acho que o vínculo entre os dois aumentou. Na minha volta, percebi que o João ficou com saudade, vinha me abraçar muito: aliás, é uma delícia matar a saudade depois da viagem!

Se eu considerar meu desenvolvimento profissional, sem dúvida, só saí ganhando. Uma viagem dessas serve como respiro e como reciclagem. Foi tudo tão bom que combinamos, minha amiga e eu, de voltar a Milão a cada dois anos! Meu marido, que é um pai dedicado, reconhece e admira esse meu papel de mãe e profissional, com certeza vai me incentivar.

Paula Hsieh Klein, arquiteta paulista, mulher de Ricardo Klein e mãe de João.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s