Nada de “Job description”

[Cecília e Jaime Troiano]

A tarefa era a seguinte: as equilibristas editoras deste site bolaram um questionário que deveria ser respondido em separado e em sigilo por cada um dos parceiros da jornada diária entre trabalho, filhos, casa e relacionamento. Cumprida a missão, surpresa: ao serem colocadas lado a lado, as respostas de Cecília e Jaime Troiano não diferem tanto assim e levam às mesmas conclusões. Prova de que os dois, além de equilibristas, são afinados! 

1 – Como é sua rotina (de trabalho, em relação à organização da casa, à agenda dos filhos, às atividades conjuntas de casal)?

Cecília: Levantamos bem cedo, todos os dias às 5:30h. Cada um leva um dos filhos à escola (eles estudam em escolas diferentes). Depois, em alguns dias pela manhã faço musculação, em outros corro e em outros vou mais cedo para o escritório. Nos dias em que posso, pego os filhos na escola. Invariavelmente, umas ou duas vezes por semana dou aquela passada básica no supermercado. Normalmente chego em casa à noite, para ajudar em alguma lição pendente. Jantamos sempre os 4 juntos, por volta das 20hs. É a hora de conversarmos um pouco. Dormimos todos bem cedo. Isso é o básico, mas na verdade tem mais exceções do que regras rígidas.

Jaime: Complexa e cansativa. Acordo às 5:30 hs de segunda a sexta. Sábados e domingos ao redor das 7:30 hs. Gosto de algumas coisas na arrumação da casa: em especial, arrumar a cozinha e lavar louça. Embora a Cecília seja a gerente plena da casa e da agenda dos filhos, eu não sou um encostado. Levo minha filha à escola duas vezes por semana, o meu filho uma ou duas também, ajudo nas dúvidas de algumas matérias. O tempo que sobra é para o casal. Não tem sobrado muito não. Mas quando sobra é muito bom.

2 – Como é feita a divisão de tarefas? Levou tempo para chegar a esse arranjo ou acordo? Entre os dois, a combinação foi fácil, difícil, discutida, planejada?

Cecília: A divisão é feita quase todo dia. Não é tão rígida. Vemos qual dos dois pode ajudar mais naquele dia e aí definimos quem faz o quê. Acho que gostamos de estar com os filhos e fazemos o máximo possível para estar com eles mais vezes. Aliás, tem dia que sai até “briga” para ver quem leva, pois os dois querem ficar perto dos filhos. Uma tarefa é certa: meu marido adora lavar louça e arrumar a cozinha. Nos fins de semana ou se não temos empregada, ele é quem opera essa área. Outra divisão certa: lições de matemática, química e física são com o Jaime!

Jaime: Acho que já dei um pitaco na resposta anterior. Esse acordo/arranjo foi se estruturando gradualmente. Sinto que faço muito mais hoje do que fazia quando os filhos eram menores. Pelo menos, é o que sinto. Não houve um planejamento formal para que as coisas acontecessem assim.

3 – Quem é o mais equilibrista? Se você também perguntasse isso a seus filhos, quem acha que eles apontariam?

Cecília: Acho que sou eu e creio que as crianças também diriam isso. Como cuido mais da casa deve dar essa impressão para eles.

Jaime: Perguntinha desnecessária! É lógico que é a Cecília. Digamos que ela consegue equilibrar 10 pratinhos. Usando esse número 10  como referência, eu diria que sou 3, no máximo. Quando ela viaja, fica claro como sou pouco hábil nessa arte do equilíbrio. Se eu perguntasse aos garotos, eles não dariam esse placar: 10 X 3. É mais provável que dessem algo como 10 X 1. Não me sinto mal com isso. Acho que já fui muito pior como equilibrista.

4 – Quais as vantagens e desvantagens de um casal equilibrista? Vale a pena a divisão de tarefas e a cooperação? Por quê?

Cecília: Sem dúvida, a combinação de esforços do marido e esposa é muito benéfica para todos. Só vejo vantagens de ambos serem equilibristas, para nossas vidas e também para as de nossos filhos. Não imagino uma vida diferente para nós e nem acho que nossos filhos gostariam.

Jaime: É lógico que vale a pena. Principalmente, quando essa armação é fruto de um encontro ou de um entendimento natural. Nada de traçar “job descriptions” para cada um. A coisa precisa fluir naturalmente. Mesmo em residências onde só há um equilibrista, normalmente a mulher, muitas vezes as coisas funcionam harmonicamente. Não se sei a tendência a ter dois equilibristas é a receita da felicidade geral. Talvez sim para alguns casais. Mas não pra todos.

5 – Dê sua dica para outros casais equilibristas. 

Cecília: Conversar bastante e dividir tarefas. Não dá para fazer tudo sozinha, uma hora estoura.

Jaime: A dica é a seguinte: não jogue pra torcida. Equilibre somente os pratinhos de que você realmente gosta e sabe manter. E para homens, a mensagem é: trate sua equilibrista como sua namorada!

Cecília e Jaime Troiano, além de dividir responsabilidades em casa, também fazem isso na empresa, a Troiano Consultoria de Marca.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s