A equação das férias

[Renata Lima]

10, 9, 8, 7, 6, 5, 4, 3, 2, 1, 0, começaram as férias do trabalho! Viva! O horário comercial agora será todo meu e da minha filha de 1 ano e meio! Vamos terminar as compras de Natal, passear na praça e brincar um monte nesses 15 dias!

Epa! Surgiu uma dúvida: mas e a babá? Será que esse não é um bom momento para dar férias para ela? Por que não aproveitar que eu estarei sem trabalhar para deixar a babá recarregar as baterias para o ano novo que, além da Luísa, terá um novo baby? (meu segundo filho nasce em maio!)

Minhas amigas equilibristas de longa data me olharam com aquela cara de “você está louca? Vai ficar sem ninguém pra te ajudar? Durante as suas férias???”

Até parei pra pensar. É engraçado mesmo. A babá vai descansar enquanto eu vou trabalhar… Pensando bem, serão férias para quem, “cara pálida”? Como será que eu vou recomeçar o trabalho depois dessas duas semanas intensivas com a Luísa? Como eu vou recarregar as minhas baterias?

Meu marido e eu conversamos muito sobre isso antes de decidir. Quando ficamos sem babá nos finais de semana, sobram atividades para os dois! Será que a gente iria agüentar duas semanas nesse pique?

Bom, temos um esquema que tem funcionado bem: ele acorda cedo, com a Luísa, entre 7 e 7 e meia. Troca a fralda e dá o café da manhã pra ela. Entre 8 e meia e 9 horas, eu acordo e assumo a pequena. Ele volta a dormir um pouco mais ou se anima para dar uma corrida.

A alimentação é por minha conta: almoço, lanche e jantar. Ele fica com o passeio de bicicleta. O banho é meu e a mamadeira da noite é dele. Fora isso, nos revezamos nas brincadeiras e na administração das manhas da Luísa ao longo do dia. Se o nosso almoço não demora muito pra sair, ganhamos um bônus: dar aquela “dormida” enquanto a Luísa cochila à tarde! Maravilhoso!…

Como passaremos uns dias na casa dos meus pais, no interior, é capaz de surgir aquela ajuda inesperada e ultra bem-vinda. Se tivermos sorte, dá pra rolar até um cinema!

Enfim, decidimos que vamos encarar o desafio. Durante 15 dias, vamos deixar de lado um pratinho chamado trabalho e nos dedicar ao pratinho querido chamado Luísa. Se vamos descansar? Talvez sim, talvez não. Mas tenho certeza de que vamos curtir muito esse tempo com ela: vamos fazer comidas deliciosas nas suas panelinhas, vamos nadar e brincar juntos e vamos ter muitas histórias pra contar das nossas férias nessa família de equilibristas!

Renata Pereira Lima é administradora de empresas com mestrado em antropologia e mãe de Luísa, 1 ano.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s