Entendendo mães

Uma das virtudes das pessoas e das empresas em geral, em minha visão, é o dom de entender os outros. É tão bom quando sentimos que uma outra pessoa, empresa ou marca nos conhece bem e sabe como nos agradar!

Pena que não seja sempre assim…

Lendo uma revista americana, deste mês, me deparei com esse anúncio – imagem ao lado – e quase tive um troço, literalmente. Tive a exata certeza de que a empresa que lançou esse  “livro” não entende NADA de mães, não sabe o que passa na cabeça e muito menos o que passa pelo coração de uma mãe. Explico melhor: eles lançaram esse produto, ” Recordable Storybook”, que nada mais é do que um livro infantil que grava a voz da mãe quando ela lê a história para o filho. No dia seguinte, com a mãe fora (provavelmente trabalhando), o livro pode  “ler” o livro ouvindo a narração da mãe. O anúncio diz: “A cada página virada, eles ouvirão a sua voz!”, e continua, “Leia para os que você ama, mesmo que você não possa estar lá!”.

O produto,  através dessa mensagem, é como se nos dissesse: ” sua mãe ausente, já que você não está aqui porque está trabalhando fora, nós cobrimos sua ausência.”  É o fim do mundo.

Meu Deus! É uma falta de sensibilidade absurda, é a transformação da mãe em áudio,  é a “mobile mom” ou algo parecido. O gostoso de contar e ouvir histórias é a troca que acontece entre mãe e filho naquele momento. Ficar aconchegados, um do lado do outro, sentir o arzinho de nosso filho respirando, ele vendo em nossos olhos o prazer daquele momento mágico. Enfim, estar junto, de verdade, é o que conta. No fundo, a história é o de menos, é quase um pretexto para unir mãe e filho.

Também inacreditável é que ele foi lançado por uma empresa que, na minha opinião, entende muito da relação entre pessoas – a Hallmark.  Foi um descuido ou então uma radicalização do significado da vida virtual contemporânea.

Vejo o quanto ainda algumas empresas ficam devendo no quesito compreender pessoas para melhor atendê-las. Mas o lado bom disso é: mães unidas, vamos seguir lendo muitas histórias para nossos filhos, mesmo que às 10 da noite e algumas vezes dormindo antes deles. Mesmo assim vale a pena! Concordam?

5 comentários sobre “Entendendo mães

  1. Marley disse:

    Ciça,

    Depois dessa não podia deixar de comentar.
    Quando minha Renata era pequenina, devia ter uns 2 aninhos aconteceu algo que jamais me esqueci, estávamos as duas deitadas na minha cama, eu tentando faze-la dormir comecei a ler um livrinho infantil pra ela, quando “eu” estava quase dormindo, olhei para o lado e ela estava vidrada olhando pra mim, era como se não existisse mais nada em volta, os olhinhos dela brilhavam, eu perguntei “ta entendendo a historinha?”, ela disse ainda vidrada em mim “han??”, comecei a rir e cobri ela de beijinhos, foi demais.
    Seu comentário está absolutamente correto, nada por mais moderno que seja substitui o carinho de nós “mães”.
    bjs

  2. Michelle disse:

    Puxa Ciça,

    Algumas empresas realmente pecam por excesso! Pensam que podem “melhorar” a vida das pessoas automatizando tudo. Chega a ser assustador, principalmente nesse caso.
    Quase sempre quando chego em casa, a Bianca me fala toda animada: “Mamãe, hoje eu trouxe outro livrinho pra gente ler deitadinha na caminha!”
    Imagina se tivesse minha voz gravada nesses livrinhos? Seria muito triste! Como ela faria suas perguntinhas no meio da histórinha? Não teria como repetir os sons dos bichinhos…
    É uma falta de sensibilidade mesmo!

  3. Jaime Troiano disse:

    Ciça,

    Eu sei de que revista você está falando. Acho que é a Real Simple.
    Você tem toda razão do mundo.
    Um livro que lê sozinho com a voz da mãe! É o fim.
    É o nascimento da e-mother.
    É o Apocalipse.
    Além de tudo, esse livro que lê com a voz da mãe que se foi é até fúnebre.
    Enfim, seu texto é impecável.
    Bjs

    Jaime

  4. Solange Pelinson disse:

    Ciça, chocante, né? final dos tempos? ou o começo do que está por vir…
    Lendo seu relato fuiremetida, rapidamente, para aqueles livros/filmes em que as pessoas têm uma memória artificial? nossa!! é angustiante…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s